Plano de recuperação judicial da Eternit é homologado



Empresa pediu recuperação judicial em março de 2018, como consequência das restrições ao amianto e da crise da construção. A homologação do plano de recuperação judicial da Eternit foi publicada nesta terça-feira (11) no Diário Oficial do Estado de São Paulo, conforme informou a companhia.
O plano foi aprovado pelos credores da Eternit em 29 de maio e homologado pelo Juízo da 2ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais da Comarca de São Paulo no dia 30 de maio.
A Eternit pediu recuperação judicial em março de 2018, como consequência das restrições ao amianto e da crise da construção.
O plano prevê desde a possibilidade de nenhum deságio e pagamento em prazo mais longo até desconto de 45% para quem optar por recebimento em período mais curto vinculado à venda do imóvel ocupado em Fortaleza pela controlada Companhia Sulamericana de Cerâmica (CSC), com possibilidade de comercialização da própria fábrica de louças. O prédio de oito andares que abriga a sede da Eternit, no bairro paulistano de Pinheiros, foi dividido em um lote de cinco pavimentos e outro de três.
A Eternit fará dação desses imóveis em pagamento de credores, com desconto de 30%. Todos os credores quirografários vão receber, de acordo com o plano de recuperação, até R$ 3 mil, limitado ao valor de cada crédito, no prazo máximo de 180 dias contados a partir da homologação.
No final de maio, a Eternit anunciou que colocou em “hibernação” os ativos imobilizados da Sama, mineradora de amianto localizada em Minaçu (GO), e que demitiu todos os 400 funcionários da controlada.
Source: Globo Economia