Dólar opera em queda de olho em dados de inflação dos EUA



Na quarta-feira, a moeda norte-americana fechou em alta de 0,67%, cotada a R$ 5,0687. Nota de US$ 5 dólares
REUTERS/Thomas White
O dólar opera em queda nesta quinta-feira (10), antes da divulgação de dados de inflação dos EUA.
Às 9h02, a moeda norte-americana caí 0,33%, a R$ 5,0518. Veja mais cotações.
Na quarta-feira, o dólar fechou em alta de 0,67%, a R$ 5,0687. Com o resultado, as moedas norte-americanas acumulam recuo de 2,98% no mês e de 2,28% no ano.
O Banco Central fará neste pregão leilão de swap tradicional para rolagem de até 15 mil contratos com vencimento em dezembro de 2021 e março de 2022.
Cenário
Nesta quinta-feira, os investidores aguardam a divulgação de dados sobre inflação e pedidos iniciais de seguro-desemprego nos Estados Unidos, atrás de pistas sobre o rumo da política monetária do Federal Reserve (BC dos EUA). O Comitê Federal de Mercado Aberto do Fed encerrará sua próxima reunião em 16 de junho.
O Banco Central Europeu afirmou nesta quinta-feira que continuará a realizar suas compras de títulos emergenciais a um ritmo mais alto do que no início do ano. O BCE decidiu manter a sua taxa referencial em -0,5% e a orientação de que vai manter ou cortar os juros até que a inflação mostre convergência “robusta” para a meta.
Também permanece no radar dos mercados as expectativas em torno da próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, que se reunirá também na próxima quarta-feira.
Entre os fatores que têm ajudado a moeda brasileira nas últimas semanas, vários especialistas apontam para a expectativa de juros domésticos mais altos, que foi reforçada pelos sinais de aceleração da inflação, que atingiu 8,06% em 12 meses até maio.
Um cenário doméstico de juros mais altos tende a favorecer o real, segundo especialistas, uma vez que torna investimentos locais atrelados à Selic mais atraentes para o investidor estrangeiro. A taxa de juros esta atualmente em 3,5% ao ano e a expectativa do mercado é que ela chegue a 5,75% no fim de 2021.
Variação do dólar em 2021
G1
Source: Globo Economia